Loja virtual

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Diário do Tour enogastronômico por Portugal

Por Luiza Martini, sócia da Casa do Vinho – Famiglia Martini

De 22 a 30 de outubro, tivemos o prazer de levar e fazer companhia a um grupo de brasileiros em um passeio inesquecível pelo norte de Portugal.

Agora, divido com vocês a experiência, culturalmente riquíssima, nesse diário do passeio.
Nosso tour enogastronômico foi preparado com muito carinho, a seis mãos. Nossa “equipa” ficou cerca de um ano estudando rotas, passeios, restaurantes e as melhores opções de entretenimento na área da enogastronomia.

Só tenho a agradecer aos meus super parceiros: João Carvalho, do grupo DFE - nosso parceiro, que com todo conhecimento, alegria e profissionalismo (nosso coração em Portugal) fez todas as pontes e parcerias para que tudo funcionasse perfeitamente, e Carolina Vilella, da agência Taste The World, que me convidou para este desafio de montar uma viagem personalizada para os amantes do vinho e tornou este sonho possível. E a todos os companheiros de viagem, as 15 pessoas que embarcaram nesse grande sonho conosco.
Vou contar um pouquinho de como foi a nossa viagem e, ser der vontade de ir, 2018 tem mais!

Dia 22 de setembro – Porto

O primeiro dia foi intenso! Para que descansar com tanta coisa bacana para fazer, tanto para aprender e degustar?



Chegamos a Porto perto do meio-dia. Malas no hotel e como ainda tínhamos um tempinho antes de fazer o check in fomos para um almoço rápido no O Conga, restaurante de petiscos típicos portugueses. Provamos alguns, como o Papas de Sarrabulho, as famosas Bifanas e a, não menos famosa Francesinha.
Tempinho para descansar e fazer o check in, seguimos para o Instituto do Vinho do Douro e do Porto (IVDP), num prédio histórico maravilhoso no centro do Porto. Manoel, provador oficial do Instituto, atenciosamente nos levou para conhecer todas as instalações, inclusive laboratórios, salas de prova e, claro, sala de degustação. Foi lá que fizemos uma degustação harmonizada de três diferentes tipos de vinhos do Porto: branco seco, tawny 10 anos e ruby LBV 2011, sob a orientação do próprio Manoel. Aula didática, prática e muito saborosa!
Para finalizar o dia em grande estilo, em Vila Nova de Gaia, fizemos um tour guiado na Graham’s com degustação de Porto Tawny 20 anos e LBV 2011. Na espera para o jantar no restaurante Vinum, drink de Porto com tônica, apreciando a deslumbrante vista da cidade do Porto. O jantar foi maravilhoso desde as entradas até a sobremesa e sempre regado a vinhos também deliciosos!
Voltamos para o hotel cheios de novas experiências, conhecimentos e novos amigos. O entrosamento do grupo foi perfeito.

Dia 23 – Porto

Depois de uma noite bem dormida para recuperar as energias, nada como uma aula de culinária seguida de almoço, tarde livre para passeio e jantar de frutos do mar e peixes!


O segundo dia começou mais tranquilo, para que o grupo pudesse se refazer da viagem. O primeiro compromisso foi uma aula de culinária no badalado restaurante Oficina do Chef Marco Gomes. Ele mesmo nos recebeu com exclusividade para ensinar uma receita maravilhosa, passo a passo, dentro de sua cozinha. Não é para qualquer um!
Depois da aula, que ainda incluiu dicas do Marco para o preparo de bacalhau, sentamos para o almoço. A entrada foi a mais pedida do restaurante e assinatura do chef: ‘ovo’ de foie gras recheado de compota de figo em casca de chocolate branco em ninho de alho-poró. Que espetáculo! Os pratos principais e sobremesa - fantásticos, ficaram à altura da entrada. Todos harmonizados com vinhos da Quinta do Soque. Verdadeira experiência enogastronômica!
A tarde foi livre para quem quisesse curtir um pouquinho do Porto ou descansar para o jantar. A farra não tem fim! Fomos para Matosinhos no terraço do restaurante O Valentim para nos deliciarmos com peixes e frutos do mar. Percebes, polvo, lula, sardinhas e um delicioso dourado. Harmonização maravilhosa com o vinho branco da Quinta dos Poços.

Dia 24 - Minho

Dia repleto de experiências enogastronômicas!



O dia foi reservado para conhecermos um pouco do Minho e dos vinhos verdes. A primeira parada foi na Quinta dos 9, projeto de família do enólogo Antonio Rosas da 2PR. Rosas é um mestre e, com toda sua didática, nos apresentou as vinhas, contou histórias e explicou sobre o processo de cultivo. Depois, conhecemos suas novas instalações e equipamentos para vinificação, sempre com Antonio nos dando uma boa aula!
De lá partimos para almoçar na Confraria do Pudim Abade de Priscos. Espumante da Quinta dos 9 para nos recepcionar, deliciosos petiscos e uma aula de preparo do famoso pudim com Albina, uma expert no preparo da iguaria. O almoço foi uma festa! Cabrito assado no forno à lenha, muitos vinhos, finalizando com o pudim harmonizado com o vinho da Madeira Barbeito Boal 10 anos. Que espetáculo! Além de aprendermos a fazer esta delícia, fomos entronizados pelas mãos de João Carvalho, do Grão Mestre e do Presidente da confraria.
A farra não acabou por aí. Da confraria, fomos para a Quinta da Lourosa, onde pudemos conhecer a paixão com que seus donos fazem seu trabalho. Todos recebidos com muito carinho pela Joana e seu pai, Rogério de Castro, professor e conceituado cientista no estudo da vinha.
O dia, ou melhor, a noite, terminou no moderno e lindo Hotel Monverde, para um banquete. Fomos recebidos por Diogo, responsável pelo marketing da Quinta da Lixa, que nos deu o prazer de sua companhia durante o delicioso jantar harmonizado com seus vinhos.
Dia longo e bastante produtivo.

Dia 25 – Douro

Douro! Douro! Douro!


O quarto dia começou cedo. Pegamos o trem na maravilhosa Estação São Bento (considerada uma das mais lindas do mundo) com destino a Peso da Régua. Paisagens lindas pelo caminho.
Em Peso, passeio pelo museu do vinho do Douro para uma boa introdução, seguido de almoço num acolhedor restaurante local, acompanhados pelos enólogos da 2PR: Antônio Rosas, Filipa Pizarro e Flávia que nos apresentaram os novos vinhos do grupo, o 2PR reserva, o Iter (projeto da Filipa) e o 2PR Grande Reserva, magníficos!
De lá seguimos para a Quinta do Tedo, onde fomos recebidos pelo competentíssimo enólogo da Quinta, Jorge Alves! Visitamos o túnel/adega escavado na montanha, que está em processo de finalização, que tem como finalidade abrigar as barricas e as garrafas da Quinta do Tedo. Fizemos provas de vinhos ainda em estágio nos tonéis de carvalho e depois seguimos para o terraço, onde Jorge nos orientou numa degustação de seus vinhos secos Colheita, Reserva e Grande Reserva além dos Porto Tawny 20 anos, LBV 2011 e Vintage 2015! Uau!
De lá, alguns minutinhos de descanso no hotel para mais uma experiência enogastronômica: jantar no badalado Hotel Six Senses. Foi um verdadeiro estimulo aos sentidos: drink Porto/tônica, petiscos deliciosos e um banquete dos deuses com os vinhos não menos deliciosos DFE (Douro Family Estates) - um luxo! O destaque ficou para a novidade do grupo DFE, um vinho feito em parceria com uma produtora de vinhos italianos da região da Toscana. O Douscana é um corte de Touriga Nacional e Sangiovese. E não é que a combinação ficou incrível?

Dia 26 – Douro

Para os amantes do vinho uma verdadeira imersão. Quanto aprendizado! Muitas experiências fabulosas num só dia.


Para a visita muito especial na Brites Aguiar, todos preparados, com direito a camisas personalizadas, já que iríamos passar por uma série de provas e acompanhar processos onde poderíamos nos manchar de vinho. Talvez tenha sido aí o momento mais especial da viagem para os amantes do vinho. O mestre Antônio Rosas nos preparou uma aula prática sobre a fermentação. Pudemos acompanhar todo o processo, desde o preparo das leveduras e sua introdução na cuba que estava pronta para começar a fermentação, a medição do peso do mosto e avaliação de cada estágio da fermentação. Experiência rara para quem é de fora do mundo da enologia e muito enriquecedora. Uma aula para lá de especial. E não parou por aí. Além das provas do mosto em cubas, provamos os vinhos que estavam estagiando em barricas de carvalho e finalizamos com os magníficos Bafarela Grande Reserva e Brites Aguiar 2014. Que espetáculo!
A segunda parada foi para um almoço na aldeia vinhateira de Trevões em companhia do produtor Antonio Alfredo da Quinta das Bajancas. Sua simpatia, simplicidade e receptividade são únicas. A comida acolhedora com pratos típicos e deliciosos. Para as harmonizações, começamos com o Bajancas Reserva Branco e depois os Bajancas tintos Colheita e Reserva. Para variar, todos incríveis. Aproveitando que estávamos em companhia de Antônio, por que não visitar suas vinhas e conhecer de perto seu trabalho? Todos na traseira de pequenos caminhões, destes que são usados nas colheitas, bem rústicos mesmo, sentados nos caixotes que armazenam as uvas, prontos para um passeio de aventura e muita descontração.
Ah, o dia não terminou aí! À noite, jantar no refinado Hotel 5 estrelas Vintage House com um desafio: um jantar totalmente harmonizado com vinhos do Porto. Desafio e tanto, a experiência foi bastante interessante. Algumas harmonizações funcionaram melhor que outras, mas de forma geral instigante e deu o que pensar. Que dia!

Dia 27 – Douro

Vivenciando um pouco mais dos costumes e histórias de uma região tão rica.


Nada de cair na mesmice. Nossa saga continua! Começamos com uma visita à Quinta dos Poços. Como esta era bem próxima ao hotel, o desafio era ir caminhando por entre as vinhas locais. Sol forte e terreno acidentado deram uma mostra de quão árduo é o trabalho nos patamares e socalcos das vinhas do Douro.
Nos Poços, os proprietários Dr. Guimarães, D. Maria Luisa e a filha Luisa nos receberam com muito carinho. Quanto capricho! Fomos presenteados com uma divertida apresentação de teatro com um pouco da história local. Como não poderia deixar de ser, drink Porto/tônica e petiscos deliciosos: queijos locais, alheiras e morcela. Daí, seguimos para um almoço muito especial. O pranto principal foi um veado caçado por nosso anfitrião mor, João Carvalho. Harmonizado, claro, com os deliciosos vinhos da Quinta dos Poços. Que presente divino!
Do Colheita ao Reserva, para o Grande Reserva e terminando em grande estilo com o MGXXI Reserva da Família. Um show!
Para fazer a siesta, um passeio de barco pelo Douro. Banho tomado, destino de despedida do Douro: o famoso DOC do chef Rui Paula. Um banquete refinado com a presença de mais um produtor do grupo DFE, Antônio Vicente da Quinta do Soque. O menu estava incrível, uma viagem gastronômica que ficou ainda melhor com os vinhos do Soque. Rosas e Filipa também nos acompanharam neste encontro maravilhoso onde fomos apresentados a mais uma novidade, o vinho sonhado por João Carvalho, o Palanque. Vinho de personalidade com alma de caçador.

Dia 28, 29 e 30 – Dão – Bairrada – Fátima – Lisboa

Mais conhecimento e grandes experiências gastronômicas.



Seguimos com destino à Bairrada, com direito a uma parada no Dão. Nosso almoço foi em Santar onde, em companhia de Ana Paula, representante do grupo, conhecemos a Casa de Santar, suas vinhas, adegas e seu trabalho. Para encerrar nossa visita, um caprichado almoço no salão do imponente solar do sec. XVII restaurado pelo grupo.  De lá, seguimos para Coimbra. Noite livre para descanso, afinal, até agora nada de momentos de folga...
De manhã seguimos para o Buçaco. Visitamos o majestoso Palácio, hoje transformado em um hotel 5 estrelas, acompanhados por Antônio Rocha, responsável pelos vinhos do hotel, que nos apresentou, não só as instalações, como nos abriu as portas de sua impressionante adega. Vinhos históricos e muito antigos. Um espetáculo! E para melhorar fomos presenteados com um raro e especial vinho da adega, um Buçaco Vinha da Mata safra 2001. Finalizamos nossa visita com um passeio pela linda mata do Buçaco.


De lá seguimos para o famoso Pedro dos Leitões. E deu para entender o porquê de sua fama. Fomos recebidos por Felipe, filho de Pedro, que nos levou para fazer um tour completo. Foi ele que nos apresentou suas instalações e todo processo que vai desde o abate até o preparo, temperos e os fornos que chegam a assar impressionantes 150 leitões por dia. 

Antes do almoço, João pediu para que o sommelier do restaurante preparasse uma degustação às cegas de vinhos brancos de regiões que não visitamos para que nosso tour ficasse ainda mais completo. Não resisti e lancei um desafio. Já que era uma degustação às cegas, pedi ao sommelier que nos passasse o máximo de informações sobre os vinhos para que tentássemos identificá-los. Desafio difícil, um exercício de humildade.

Depois fomos para a mesa de almoço para mais um banquete. Entradas típicas a base de fígado e miúdos e como prato principal o aguardado leitão à Bairrada. Hummmmmm!
Completando nosso tour na Bairrada, uma degustação de espumantes da região com aula sobre o tema. Para finalizar, um jantar na vinícola design Quinta do Encontro. Ufa!


Quase todos ‘mortos’, malas prontas para nosso destino final, Lisboa. Parada estratégica no Santuário de Fátima, que está completando seu centenário. Momento de agradecer e refletir. E, finalmente, chegada a Belém onde o grupo se despediu. 

Foi uma viagem maravilhosa! Obrigada a todos que compartilharam dos nossos sonhos! Ano que vem tem mais!


Siga-nos no Instagram e veja mais fotos da viagem: @casadovinhobh

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...